Episódio 3 – Herança (em 17 de agosto de 2010)

CUSTO X BENEFÍCIOS

Assim que cheguei de viagem, fui cumprimentar meu sobrinho pelo aniversário. Ele estava na casa da minha mãe e imagina o que ela preparou pro jantar? Strogonoff de filé, arroz e batata frita, sem falar do refrigerante, bolo de chocolate, sorvete de creme e docinhos. Como resistir a tanta tentação? É claro que é muito difícil, mas tenho que resistir!!!!!!

Todas as vezes que me vejo nessas situações, sempre avalio o custo X benefício. Penso nos resultados que já conquistei, penso na melhora significativa da minha saúde e no meu bem estar. Me lembro que fui lá pra festejar o aniversário dele e não pra comer.

Saio mais uma vez fortalecida e feliz comigo mesma por ter mudado a minha maneira de pensar e a minha relação com a comida. Como já comentei anteriormente, um dos grandes desafios da dieta é aprender a me alimentar de forma saudável, com regularidade e em horários mais regrados. Pra quem trabalha fora o dia todo, essa é uma missão bastante difícil, mas já consegui dar o primeiro passo nesse sentido.

Conheci perto do meu consultório aqui na Barra da Tijuca, o ” Restaurante Frontera” que oferece várias opções de saladas e frutas (para os dias de dieta “leve”), diversos tipos de carnes e frios ( para os dias de dieta zero carboidrato ) e grande variedade de pratos quentes ( que nesse momento não me pertencem,  é claro!).

Optei há muitos anos por fazer minhas refeições em restaurantes e de agora em diante adotei o Restaurante Frontera como “meu restaurante”.

Como já me sinto “mais magra”, hoje vou ao Shopping me encontrar com minha parceira Cynthia, para escolher um vestido para o almoço no domingo na casa da minha mãe. Fomos a loja Rapsódia. Fiquei radiante; finalmente depois de muitos anos consigo entrar numa loja e encontrar “roupas prontas” que me vistam bem. Me sinto uma vitoriosa!!!

Por falar na casa da minha mãe, esse também é um grande desafio: o almoço em família!!! Sempre tem muita comida gostosa. Dessa vez não foi diferente, tinha tudo que eu gosto, mas minha mãe deu sua contribuição pra minha dieta e preparou especialmente pra mim, bife de filé . Como sobremesa gelatina diet. Essa semana foi cheia de desafios…..mas, venci mais uma  batalha!!!!!!

SAÚDE DE PAIS PARA FILHA….

Minha mãe é mineira, mas foi criada no Rio de Janeiro e meu pai é carioca, mas com fortes raízes mineiras. Do meu pai herdei o espírito de liderança e o idealismo, além de vários traços de fisionomia. Da minha mãe herdei a sociabilidade, a facilidade de me relacionar. De ambos, a fluência verbal e o respeito pelo próximo.  Sem falar dos meus avós….

Quando criança, morei no interior de São Paulo, em Piracicaba. Nossa casa tinha um quintal grande com um pomar muito diversificado, com pé de laranja lima, limão romã, ameixa, banana, caqui, uma parreira de uvas verdes, além de um canteiro com pé de tomate e plantação de bertalha ( parecido com espinafre ). Ah! Também tinha um galinheiro, que de manhã pegávamos os ovos fresquinhos para fazer ovo quente.

Nosso cardápio alimentar sempre foi muito farto, sortido e  saudável.  Além do trivial variado com carnes, peixes, verduras, legumes e frutas, também comíamos alguns pratos exóticos como rim com batata, língua ensopada, bertalha com ovos, miolo à milaneza, codorna com purê de maçã e churrasco de carneiro. Refrigerantes naquela época eram raros, só em aniversários. Doces, apenas os caseiros como doce de abóbora, de banana, goiabada… e as frutas naturalmente.

Com certeza não posso atribuir aos meus pais, meus hábitos alimentares inadequados e irregulares. Tanto na infância no interior como na adolescência no Rio de Janeiro, minha alimentação foi muito saudável, apesar de que mais ou menos a partir dos 13 anos eu já dava indícios das minhas preferências gastronômicas.

Me reunia com meus amigos do edifício em que morava e com freqüência comprávamos um “tijolo” de sorvete de flocos ou creme e biscoitos waffer de chocolate, para as tardes depois das aulas. Também era comum tomarmos sorvete no “carrinho da Kibon”, comer Waffer com manteiga e mel e irmos a Confeitaria Colombo lanchar. Boas lembranças….rsrsrs!!!

Apesar de nunca ter me preocupado muito com a minha alimentação, isso não aconteceu em relação a alimentação do meu marido e dos meus filhos; eu sempre me preocupei em preparar um cardápio balanceado, nutritivo e saudável, enquanto meu marido cuidava da prática dos esportes.

É importante ressaltar a “Herança” dos pais na alimentação dos filhos, pois hoje já se sabe que uma criança obesa de dois anos tem o dobro de chances de ser um adulto obeso. Com o passar dos anos, as chances tendem só a aumentar, um adolescente com excesso de peso terá de 70 a 80% de chances de ser um adulto obeso. Vamos pensar nisso!!!!

« Episódio 2 – Manias Episódio 4 – Personal »
Desenvolvido por Juliana Apolo e
Studio 9 - Web Solutions